44-JAN FEV MAR 2010
 


Malhação ao alcance do elevador


Aquela salinha de musculação acanhada e quase sempre deserta está virando raridade nos condomínios, cada vez mais repletos de serviços. Além de tonificar os músculos e correr na esteira, há muito morador praticando atividades como dança do ventre, dança de salão, judô, natação e hidroginástica sem ter que sequer chegar até a portaria. Verão, Copa do Mundo de 2014 no Brasil e Olimpíadas 2016 no Rio de Janeiro têm lá seu quinhão de influência nesse boom de malhação, mas segurança e conveniência são os principais fatores, aliados ao nascimento de consultorias e profissionais especializados em montar programas de atividades dirigidos a condomínios.

De olho nesse filão, o professor de educação física Allan Coutinho criou a Excellence Saúde e Bem-Estar. Muito além de fornecer profissionais registrados para cuidar de salas de musculação, Coutinho investe em programas personalizados para cada perfil de condomínio. A empresa oferece professores especialistas em crianças, terceira idade, musculação e judô, entre outros. Ele conta, ainda, com uma arquiteta que orienta a montagem de academias novas em espaços ociosos de condomínios mais antigos. “Mui- Condomínio por Viviane Marques Ma lhação ao alcance do elevador tos alunos, na academia em que dou aula, me requisitavam como personal trainer em seus condomínios. Foi aí que tive a ideia de incrementar a proposta e me especializar em saúde e bem-estar para moradores de condomínios”, explica o professor, que para criar a empresa associou-se a um aluno, engenheiro de produção.

Quem também percebeu que os condomínios podem gerar bons negócios para as duas partes foi o professor de dança de salão Cláudio Affonso. Dono de academia há 15 anos, ele acaba de formar 20 professores, de acordo com sua metodologia de trabalho, para investir em novas turmas dentro de condomínios. Atualmente, sua equipe está presente em dois condomínios no bairro do Méier, em associações de empregados e em empresas. Os pacotes de serviços são montados de forma individualizada, de acordo com o perfil dos alunos e os ritmos desejados. “Pode-se optar por somente um professor, que faz a parte tanto do homem quanto da mulher, ou por um casal, dependendo do número de alunos. A dança de salão integra muito, a socialização é indescritível”, comenta ele, que indica de uma a duas horas por semana de aulas e turmas separadas para iniciantes e dançarinos mais experientes.

Em tempos de tanta correria, nada como parar para relaxar. Na verdade, parar para dançar. Se quem canta os males espanta, quem dança deve ficar muito melhor! A aposta de Claudio Affonso é na integração de corpo e alma, e nada como a dança para expressar sentimentos reprimidos pelo cotidiano das grandes cidades. Já se foi o tempo em que só mulheres buscavam as aulas de dança, agora, cada vez mais os homens buscam nestas aulas um espaço de lazer com suas namoradas, amigas e esposas.

Especializada em criar programas de saúde e qualidade de vida para empresas, a Vida Consultoria pretende expandir seu ramo de atuação em 2010. “Em condomínios,é preciso contratar profissionais específicos, fixos, e continuar acompanhando o trabalho por toda a vigência do contrato. É diferente de trabalhar com empresas, nas quais implementamos um programa e aárea de Recursos Humanos se encarrega de dar continuidade ao que foi proposto”, diz Rômulo Couto, sócio da consultoria que analisa espaço físico, público-alvo e orienta a compra de equipamento.

Coutinho, que já atende a quatro condomínios na cidade de Niterói, explica que a Excellence pode tanto focar apenas a consultoria para montagem de um espaço de fitness como coordenar as atividades de forma permanente. Tudo é feito com base na proposta inicial do síndico, que é lapidada e, se preciso for, ele ou o sócio se reúne com os moradores para orientá-los na organização das atividades. “Tentamos oferecer o que há de melhor no mercado, inclusive na relação custo-benefício. Nosso serviço é voltado para satisfazer aos condôminos, ter um espaço limpo, com profissionais dedicados e motivados. Nesse tipo de atividade, a busca é sempre pela saúde, não pelo desempenho”, afirma Coutinho, que, frequentemente, visita os empreendimentos para conferir o perfeito funcionamento dos espaços.

Mas a Excellence não se fixa apenas na malhação. A consultoria também promove caminhadas, campeonatos esportivos para a garotada e acaba de criar o Excellence Espaço Kids, com atividades para crianças de 3 a 12 anos de idade. Há natação para bebês, ginástica olímpica e escolinhas de vôlei e basquete. O foco do empreendimentoé no desenvolvimento psicomotor e conta com professores treinados e capacitados para trabalhar com alunos dessa faixa etária. Crianças menores de 3 anos até podem participar de algumas atividades, mas um responsável precisa estar presente.

Outro atrativo de praticar exercícios dentro do condomínio é o valor das mensalidades, mais baixo que numa academia comum – cerca de um quinto do preço de uma unidade de porte médio, segundo Coutinho. O rateio costuma ser entre todos os condôminos. “Quanto maior o condomínio, menor o preço. Espaço físico a maioria dos prédios tem, mas muitas vezes ele é mal-aproveitado”, incentiva Coutinho, que para um de seus clientes utilizou o espaço ocioso da garagem – com mais vagas do que carros– para montar uma academia.

Aproveitar todos os espaços e oportunidades para oferecer atividades para os moradores é rotina no Condomínio Green House II, na Pavuna. Com 200 casas e cerca de 800 moradores, sua área de lazer, com piscinas e dois salões de
festas, tem programação o ano inteiro e para todas as idades e gostos. Tudo começou quando o residencial mal fora inaugurado, em 2001, com um campeonato anual de futsal, que já está na sétima edição e virou tradição – afinal, atrai até times de bairros vizinhos, convidados dos próprios moradores. “A iniciativa surgiu naturalmente, como campeonato interno, para lazer de domingo. Hoje contamos até com patrocínio para o evento”, conta o síndico Sandro Ribeiro da Silva, no cargo há oito anos.

Com o tempo, outras atividades foram surgindo, e no momento o condomínio tem aulas de hidroginástica e natação (para crianças e adultos), judô infantil, ginástica para a terceira idade (gratuita, em parceria com o vizinho Green House I e apoio da prefeitura) e aulas de dança do ventre (infantil e adulta). Em 2010, o síndico planeja retomar a escolinha de futsal, também patrocinada.“Na natação e na hidro cobramos atestado médico, mas tanto nestas como nas outras atividades as inscrições são feitas diretamente com os professores. O condomínio cede o espaço gratuitamente, com a orientação de que a mensalidade tenha um preço acessível”, explica Silva, que espera diminuir a inadimplência
para realizar o projeto de transformar um dos salões de festa em sala de ginástica e musculação.

ATENÇÃO PARA A LEI

Um morador animado e disposto não é o mais indicado para promover atividades esportivas em seu condomínio. E contratar estudante sem um rofissional para supervisionar ou deixar o funcionamento da academia por conta do faxineiro, então, nem pensar! De acordo com a Lei Federal 9.696/98, que regulamenta a profissão de Educação Física, toda atividade física e esportiva deve ser orientada por um profissional da área, habilitado e registrado no Conselho Regional de Educação Física de sua região. Os condomínios estão sujeitos à fiscalização e podem ser autuados se forem flagrados em situação irregular. Fique atento!

Segurança é responsabilidade de todos: síndicos, moradores e funcionários

Montar uma sala de musculação não é barato – uma academia completa, com esteiras, bicicletas, aparelhos de musculação, bolas para alongamento, jump, pesos e demais acessórios sai entre R$ 15 mil e R$ 18 mil. A conta é de Sérgio Passos, gerentegeral da Vale Home Fitness, que trabalha apenas com os produtos nacionais da marca Movment. Com 20 anos de experiência no mercado, Passos conta que já chegou a vender mais de 30 marcas de produtos de ginástica, mas optou pela tecnologia nacional por causa da facilidade em obter peças de manutenção. “Não adianta comprar algo importado, muito bonito, mas que com seis meses de uso dá defeito e não tem mais conserto”, assinala ele, que comercializa tanto as peças quanto equipamento novo, além de fornecer assistência técnica e consultoria na montagem de academias.

A manutenção dos aparelhos é relativamente simples, mas deve ser feita com cuidado. A frequência da limpeza depende
da intensidade do uso, mas uma vez por semanaé o mínimo. Seguem algumas dicas:

• Aparelhos de musculação devem ser instalados numa sala fechada. Não podem ficar expostos ao sol, à chuva e à maresia. Umidade também é fatal para os componentes eletrônicos de esteiras e bicicletas ergométricas, portanto, nada de sala de musculação ao lado da sauna.

• Usuário molhado ou suado demais precisa se secar antes de usar equipamento com componentes eletrônicos. O contato do corpo molhado com esses itens pode, além de danificar os aparelhos, oferecer perigo de choque.

• Na limpeza das partes com metal, é melhor usar uma pasta com querosene e silicone líquido em vez de água e sabão. Esses produtos protegem o metal contra a oxidação provocada pelo suor e pela maresia.

• Nos locais revestidos de plástico ou borracha, pode-se usar detergente na limpeza e dar acabamento com um produto oleoso (como silicone), que protege o aparelho do contato com o suor, aumentado sua vida útil.

• Muitas esteiras ergométricas são autolubrificantes, e o manual do equipamento contém a orientação sobre manutenção preventiva. Passos recomenda que um técnico seja chamado a cada quatro meses para ajustar correias, parafusos e checar o funcionamento geral.

• A limpeza pode ser feita por qualquer pessoa, mas para a manutenção é essencial requisitar mão de obra especializada. O exemplo que Passos usa é o de uma lona da esteira ergométrica, cuja troca custa R$ 100, mas, em caso
de desgaste, pode danificar uma placa eletrônica no valor de R$ 1.200.




O professor de educação física Allan Coutinho criou a Excellence Saúde e Bem-Estar. Muito além de
fornecer profissionais registrados para cuidar de salas de musculação, Coutinho investe em programas
personalizados para cada perfil de condomínio. A empresa oferece professores especializados em crianças, terceira idade, musculação e judô, entre outros

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


O professor de dança de salão Cláudio Affonso, dono de academia há 15 anos, acaba de formar 20 professores,
para investir em novas turmas dentro de condomínios. Os serviços são oferecidos de acordo com o perfil
dos alunos e os ritmos desejados. “A dança de salão integra muito , a socialização é indescritível”, comenta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VEJA TAMBÉM

» Ano novo, Assembleia nova